RUMO À GREVE GERAL, SINDIPREV/SE MARCHA AO LADO DE SINDICATOS, MOVIMENTOS E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO

Preparando a GREVE GERAL

16/05/2019 05h:53

Contra a reforma da Previdência e o desmonte promovido governo Bolsonaro, estudantes, professores e trabalhadores de todos os setores, endossaram a convocação da GREVE convocada pelas centrais e movimentos populares.

O SINDIPREV/SE, também esteve presente na manifestação que ocorreu em Aracaju, no dia 15 de maio, com concentração na Praça General Valadão, em apoio à GREVE DA EDUÇÃO e construção unificada para a GREVE GERAL deliberada para o dia 14 de junho em todo Brasil.

A construção da GREVE vinha sendo construída unificadamente sob o comando das centrais sindicais e movimentos populares em reuniões e panfletagens em vários cantos de Sergipe. O SINDIPREV/SE, além de participar das reuniões de construção da GREVE, convocou a sua base para participar da GREVE, pela importância da unidade e combate ao desmonte no setor público.

BOLSONARO XINGA ESTUDANTES, PROFESSORES E SOCIEDADE BRASILEIRA DE IDIOTAS INÚTEIS

Numa demonstração de despreparo e angústia pelo descrédito, Bolsonaro ataca os manifestantes e eleitores, da pior forma possível chamando-os de “idiotas inúteis”. A repercussão nacional e internacional foi imediata pelo desrespeito à vontade popular e por não assumir a incapacidade.

À frente de um governo que cultua a ignorância e pretende destruir a educação e a soberania do Brasil, Jair Bolsonaro partiu para o confronto e decidiu provocar milhões de brasileiros que saíram e estão saindo às ruas neste 15 de maio. Do Texas, onde foi receber uma premiação após ser impedido de ir a Nova York, ele xingou os estudantes brasileiros, chamando-os de de "idiotas úteis". E ainda atacou os desempregados do país, dizendo que "não têm qualquer qualificação"

Imediatamente, todos os brasileiros repudiaram, nas redes sociais e nas ruas, a fala do Presidente da República Jair Bolsonaro.

VAI TER GREVE GERAL

O SINDIPREV/SE já está mobilizando a sua base para adesão à GREVE GERAL que ocorrerá no dia 14 de junho. “O setor público está completamente sucateado e ameaçado de extinção pelo projeto bizarro do Governo em privatizar o máximo possível e terceirizar o restante”, comentou o Coordenador Geral do SINDIPREV/SE, Joaquim Antonio.

A base do SINDIPREV/SE está passando por uma série de dificuldades devido a falta de investimentos em estrutura, concurso público e, principalmente, no descrédito provocado pelo Governo em atacar os servidores chamando-os de privilegiados.

Para o SINDIPREV/SE, só a luta unificada e GREVE GERAL por tempo indeterminado poderá barrar as Reformas entreguistas do Governo Bolsonaro.

 

Por: Marcos Jefferson (DRT/SE 376)